Aviso de gatilho: não leia se tiver ansiedade, pânico ou depressão.



É muito difícil explicar para alguém o que é estar passando por uma crise de ansiedade, na verdade é difícil até para eu mesma me entender. Eu poderia alegar vários sintomas físicos como falta de apetite, ou apetite demais. Náusea. Vontade de vomitar. Tremores nas mãos. Tremores nas pernas. Agitação. Agitação improdutiva. Choro. Muito choro. A sensação de que minha cabeça vai explodir. Sensação de vazio, isolamento, como se estivesse sozinha no mundo. O mundo da ansiedade. Se sentir paralisada e ao mesmo tempo querer sair correndo. O medo de morrer desaparece ao mesmo tempo que meu maior medo é morrer. Dor. Pontadas no peito. Falta de ar. Falta de ar de tanto chorar. Sufocamento pois a narinas foram cobertas com os resíduos liberados pelo choro. Medo de morrer chorando. Medo de parar de chorar e fazer coisa pior. Chorar é bom. Pior seria sair correndo, e no meio do caminho correr em direção aos carros. Pior seria transformar essa dor psicológica em física. Pior seria morrer de verdade.

03/08/2018 
- uma semana de crise contínua


As definições de plena foram atualizadas. 

Cheguei aos 24 e aos 500 posts no blog no mesmo dia, e mesmo que eu esteja desgraçada da cabeça™, eu ainda consigo agradecer pelos últimos 6 meses. Agradecer pelas pessoas incríveis que entraram na minha vida, agradecer pelas mulheres incríveis que entraram na minha vida. 

Percebi que não podia mais ficar em casa, lutar contra os demônios sozinha é difícil demais, e não precisa. Poderíamos nos unir por uma coisa melhor do que problemas psicológicos desencadeados de um emprego horrível? Sim, porém nesse caso a gente nem teria se conhecido.

Se amigos se conta em uma mão, quero usar a outra para contar amigas. 

Faço 24 tendo vida social, trabalhando pra caramba na minha fotografia, sem ler nadica de nada, comendo pizza, comprando roupa, me descobrindo todos os dias. 

Com 4 anos de blog, 500 posts passaram por aqui, BEDA em vista, e o tanto que o blog mudou, foi o tanto que mudei, e não posso nem mentir pois dá pra notar que nem sempre eu consigo aparecer para falar da vida, mas "fake until you make it" meio que virou o lema desse cantinho, e por mim tá tudo bem!

Feliz vinte-e-quatro.


Parando pra observar minhas roupas e meu guarda-roupa e o que tenho vestido nos últimos tempos percebi que meu estilo tem sido um grande rolê aleatório do Ronaldinho.

Ainda não descobri se isso é bom ou ruim, mas fato é que comecei a beber de inspirações dos anos 90 e estou amando cada combinação. Apesar de não ter tido muito ânimo para fazer os outros desafios da Guid, tenho brincado em casa mesmo e lotado meu telefone de looks pra quando eu for sair de verdade. 

De vez em quando de humanas, de vez em quando de pijama, quase sempre de jeans, vou me encontrando de novo no meio dessas roupas. Depois de 5 anos, voltando a usar camisetas de banda. As mudanças, na maioria das vezes, são internas, mas são tão grandes que se projetam pra fora e é impossível de não perceber, e é aí que vem a mudança física, de estilo, de tudo.

Ultimamente tem aparecido uns relatos na internet de gente que "largou tudo" pra viver do sonho. É um conceito muito bonito... mas que não funciona na prática pra quase ninguém. 

Pro cara que é capaz de comprar um MacBook sem pensar no que ele está deixando de lado com essa compra, pro cara que não compra uma marca suspeita de computador porque era a que cabia no orçamento - e às vezes nem cabia. Pr'aquele cara que já chega mandando uma câmera de 5 mil reais junto com uma lente fixa quase do mesmo valor. Não se aplica.

Não é desmerecer o trabalho de ninguém, mas é mostrar a realidade quando você sempre amou demais uma coisa e mesmo com esses perrengues, lutou anos e anos pra alguém que não suou 0,5 do seu suor fazer discurso de como empreender é bom.

De como temos que lutar pelos nossos sonhos. 

Empreender é bom pra quem tem apoio nesse - literalmente - negócio. Pra quem já conhecia do assunto. Empreender é bom quando você pode investir em cursos, quando você não está encarando esse monstro no escuro. Empreender é bom quando você não tem que desdobrar suas 24 horas pra dar conta do trabalho que paga seu sonho. 

Que eu tenha mais dias neutros do que ruins. Eu poderia pedir dias bons, mas ultimamente os neutros têm sido maioria. Hoje é um dia que começou neutro que tem uma grande chance de terminar ruim. Dá pra saber. E não sei como fazer diferente para transformá-lo num dia neutro, ou até bom.


Eu quero parar de chorar, mas tenho medo de que sem o choro eu vá para um lugar pior. 

"Eu não consigo me focar e coordenar tudo. Meu cérebro parece uma grande cidade. Um milhão de "eus" caminhando sem direção, pra lá e pra cá. Eu não consigo passar nada para o papel, desse modo, não consigo passar nada para o blog, assim deixando ele aqui, as moscas. Eu não consigo escrever, eu não consigo raciocinar, eu não consigo, simplesmente não consigo." 

Não consigo tanto que busco textos de 2012 para tentar explicar o que vem acontecendo.