Ando passando por algumas mudanças, e essas mudanças me fazem procrastinar porque não consigo fazer com que as coisas andem e mudem ao mesmo tempo, eu preciso de tudo organizado para que não sinta que estou perdendo o chão. Deve ser muito o que a psicóloga me disse o tempo todo nesse tempo de terapia, que infelizmente fui obrigada a pausar para cuidar da minha saúde física, que eu sou metódica demais. Planilhas. Organização excessiva.
Eu não queria ser "organizada" à tal ponto. Talvez eu devesse mesmo mudar o foco e ir para o PCP. Eu estou mudando o foco, aos poucos, e descobrindo (e redescobrindo) minhas mil facetas. 30 não precisa ser a idade do sucesso se perceber que já estou fazendo, mesmo que não seja aquilo que eu planejei. Porque, olha só, eu não tenho o controle de tudo.
Minha última olhada nas horas do estágio foi dia 6 de maio e eu adiei o relatório até segunda ordem, porque não conseguia colocar ordem, e simplesmente sentar e fazer o que tinha que ser feito, pois havia bagunça aqui fora, e principalmente aqui dentro, e esse foi meu mês de maio: bagunça. Até eu dizer chega uns 2 dias antes do mês acabar... tentando ter controle mais uma vez.
Um mês de maio resumido à novas perspectivas, vontades novas, mesmos ranços, fotografia. Diferente da Rory, dessa vez (e só dessa vez) não quero ter as próximas duas horas e meia planejadas, eu gosto da ideia de alguns dragões, da possibilidade de não me estressar com o que não está em minhas mãos, de dormir cedo, e acordar cedo, de arcar com as responsabilidades na ordem que elas merecem e não de forma aleatória como vinha vindo, se transformando nessa bagunça. Deve ser esse sol em gêmeos. Parece contraditório eu querer perder o controle de forma tão organizada, mas esse é meu jeitinho.

Deixe um comentário